Foto do Kit feita e publicada por moradores nas redes sociais.
 

      A novela da merenda escolar segue em mais um capítulo. Em Julho desse ano, 2020, parlamentares foram a secretaria de educação cobrar pessoalmente do secretário a distribuição da merenda escolar (Reveja). Isso devido as paralizações das aulas em Março, distribuição feita por inúmeros municípios, tendo em vista que a verba exclusiva para compra de merenda não deixou de vir e no depósito já havia alimentos comprados.

     Após cobrar, o secretário Emmanuel Fernandes recebeu os vereadores depois de algumas tentativas e também falou com nossa equipe (Reveja). Ainda em julho, os parlamentares conseguira fazer uma visita ao depósito da merenda escolar e constataram diversos alimentos próximo do vencimento e outras irregularidades (Reveja).

    Em Abril o governo havia sancionado lei autorizando os municípios distribuírem as merendas para os alunos (Reveja), lei que garantiria aos gestores a efetivação dessa ação sem que a mesma pudesse ocasionar processo improbidade administrativa tendo em vista que a verba da merenda não pode ser reposicionada e é garantida por lei. Após todos esses capítulos e a promessa de que os alimentos seriam entregues aos alunos, a demora ainda foi significativa. 

   Agora em Dezembro recebemos informações de moradores que alimentos estavam sendo entregue aos alunos, mas com datas próximas em dias do vencimento. Em um dos Kits que tivemos acesso continha um quilo de açúcar, um pacote de leite, uma garrafa de suco jandaia, um pacote de macarrão, um pacote de carne moída e um pacote de cuscuz. Nas imagens recebidas identificamos que um dos quilos de açúcar recebido em um dos kits estava com data de vencimento para 11 de novembro e em outro a carne moída para 16 de dezembro:

Foto do açúcar entregue em um dos Kits

   Uma moradora que recebeu o kit comentou que em seus alimentos "A carne não, mas o macarrão preto que eles entregaram veio com a data de validade pro dia 14/12/2020 e meu filho recebeu dia 12/12/2020 Não tirei foto, dei aos porcos! Pq eu acho que é isso que eles acham que nossos filhos são, porcos." relata. E outra moradora afirma "Do meu sobrinho veio o açúcar vencido."

     Laura Alonso, nutricionista supervisora da RM Soluções, empresa especializada em qualidade, higiene e segurança alimentar. Afirma que após o prazo o produto pode perder a garantia de qualidade nos aspectos sanitários e sensoriais. A data de validade dos alimentos é sempre estabelecida pelos fabricantes e fiscalizada pela ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Logo, todo produto que está dentro da data de validade está apto para o consumo e pode ser utilizado na preparação dos pratos sem nenhum problema. Porém, vale lembrar que, mesmo estando dentro do prazo de validade, o responsável pela preparação do prato deve sempre observar as condições do ingrediente e da embalagem e, em caso de coloração não usual do ingrediente, sinais de mofo, latas amassadas ou danificadas, aconselha-se descartar.


*Deixamos aqui espaço caso a secretaria de educação deseje se manifestar sobre o assunto.