Header Ads

Acordo entre Ceará e Butantan prevê chegada de 2 milhões de doses da vacina contra Covid em janeiro


Um documento assinado pela Fundação Butantan e a Secretaria Estadual da Saúde do Ceará (Sesa) acorda o fornecimento de 2 milhões de doses da Coronavac, vacina contra a Covid-19, para chegada ao Estado ainda em janeiro de 2021.O acordo foi firmado na terça-feira (22). 

Na parceria, ambas as partes concordam em ter uma quantidade disponível do imunizante a partir de janeiro, com probabilidade de entregas adicionais em fevereiro e um maior volume a partir de maio. O custo das doses não consta no documento.

Nesta semana, o Instituto Butantan anunciou que foi concluída a terceira e última fase de testes clínicos da vacina CoronaVac. A instituição deverá fazer os pedidos de uso emergencial e de registro definitivo da vacina na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Ceará pode fazer acordos com outras instituições

No documento assinado entre Sesa e Butantan, as instituições deixam expresso que a assinatura do documento não impede os direitos das mesmas formalizarem esse tipo de negociação com outros órgãos. Portanto, o Governo do Ceará pode adquirir doses de outra instituição produtora de vacina.

Segundo o documento, os ensaios clínicos da vacina do laboratório Sinovac Biotech, realizados no Butantan, mostram resultados promissores na fase 3, e a prioridade é prestigiar o Programa Nacional de Imunização do Sistema Único de Saúde (SUS).

Os governadores do Ceará, Camilo Santana (PT), e de São Paulo, João Doria (PSDB), se reuniram no dia 15 de dezembro para discutir a produção da vacina contra a Covid-19 do Butantan. O presidente do Instituto, Dimas Covas, também participou do encontro. Camilo defendeu que o imunizante fosse incluído no Plano Nacional de Imunização (PNI), do Governo Federal.

De acordo com o memorando, o Butantan e a Sesa devem trabalhar juntos para concluir um contrato de compra e venda que contenha os termos e condições para a aquisição, fornecimento e distribuição das vacinas. Outras parcerias podem ser celebrados por ambas as partes, como, por exemplo, a compra de outras vacinas. 

O documento considera que a posse de uma vacina permitirá melhoria substancial aos cuidados de vida e saúde dos brasileiros, além de possibilitar o pleno restabelecimento das atividades econômicas e sociais do país. 

Vacinação o mais rápido possível

Segundo Camilo, a expectativa é que o Brasil tenha cerca de 300 milhões de doses disponíveis em 2021 – 15 milhões até o dia 15 de janeiro. O governador indicou disposição de adquirir mais de um tipo de imunizante para o Ceará, desde que esteja registrado e aprovado de forma definitiva ou emergencial.

"O Governo do Ceará e a Secretaria da Saúde do Estado acreditam que, quanto mais cedo a vacinação acontecer, melhor para a população cearense. Por isso, a Sesa apoiará todas as iniciativas que apresentarem vacinas disponíveis para aplicação o mais rápido possível. Quanto mais cedo, melhor. A Sesa tem trabalhado para garantir a vacinação de forma rápida e segura", afirmou o secretário da Saúde do Ceará, Carlos Roberto Martins Rodrigues Sobrinho, Dr. Cabeto.

Diário do Nordeste

Nenhum comentário

Atenção!
Ao comentar, escolha as palavras corretas para que seu comentário atinja seu objetivo, expor sua opinião sobre determinado assunto.
Os comentários passaram por moderação da redação e serão publicados, independente do seu conteúdo, caso o comentarista tenha uma identificação válida!
Obrigado por comentar!

Tecnologia do Blogger.