(Atualização) Em ônibus lotado, universitários são levados nas escadas, em pé e até em cima do motor!


Será que esse problema de lotação só será resolvido depois de uma fatalidade?

Obs.:INFORME PÓS PUBLICAÇÃO NO FINAL.

        O transporte universitário de Senador Sá atualmente encontra-se em situação  complicada devido a lotação, e estudantes pedem, pelo menos,  o mínimo de segurança possível!. Com o número de universitários aumentando a cada semestre a lotação é inevitável, com isso a sec. de educação não manifesta-se afim de promover apoio e um melhor transporte aos futuros profissionais do município. Hoje os universitários transitam com super lotação correndo o risco grave de vida. Os alunos ficam em pé, nas escadas e até em cima do motor (ao lado do motorista), situação que coloca em risco a vida dos passageiros. Sem mencionar que é proibido por lei com penalidade na habilitação do motorista e multa que é multiplicada pelo número de passageiros excedente.

    As imagens, feitas em um dia menos movimentado segundo os estudantes, mostram que a situação fica ainda pior. Confirá:


_______________________________________________

    "O acidente não tem hora pra acontecer e esses acidentes infelizmente acabam levando vidas. Quando não há a vítima fatal, sempre ficam com sequelas, porque esse passageiro que está a mais dentro de um automóvel, e não tem direito de usar um cinto de segurança porque não há um cinto de segurança, há apenas para cinco passageiros, no caso dos carros." comenta a deputada Christiane de Souza Yared, relatora do projeto que aumenta a penalidade em casos de lotação.
_______________________________________________


      O transporte disponibilizado para o turno da noite, que em 2010 passou a ser fornecido também no turno da manhã era em ônibus urbano  e quando havia necessidade de manutenção ou conserto em ônibus escolar (amarelinho). Em 2017 a atual gestão começou a disponibilizar transporte universitário e para a escola técnica em ônibus de viagem/passeio com poltronas confortáveis e ar condicionado. Pensou-se que a gestão desejava e estaria valorizando os estudantes de Senador Sá. Entretanto nesses dois anos e meio em que foi implantado esse benefício o ônibus já encontrou-se em inúmeras situações de defeitos em que a demora do conserto ou uma troca (que não houve) deixou os estudantes em situações totalmente desconfortáveis. 

    Defeito no ar:  Por mais de uma vez o ar deu defeito e a situação persistiu por semanas. Que em um ônibus lotado e fechado o calor e desconforto levando a muitos até a passar mal com o clima.
   Obs.: Em muitas situações os estudantes precisavam pegar carona com outros ônibus de cidades vizinhas como Uruoca ou Martinopole. Sofrendo desconforto e muitas vezes humilhações, já testemunhadas no grupo do WhasApp dos universitários.

    Lotação: O principal problema atualmente. Em muitas cidades resolvido com a implantação (contratação) de outros ônibus. Em Senador Sá não, a situação é empurrada como dar. Com receio de multas, uma das situações informadas pelos estudantes nos informou que "o motorista negou-se a sair devido a super lotação - Saindo só após a ordem do secretário de educação, mesmo em situação irregular!"

    Público: Atualmente o transporte universitário é usado também por pré-universitários que fazem cursinho, estudantes de escolas particulares e auxilia beneficiários de projetos apoiados pela prefeitura e os universitários divididos em quase todas as instituições públicas e particulares (UVA - FLF - UNOPAR - IVA - UNINTA - Pitágoras). 

_________________________________________________   

Informe: Horas após publicação da matéria, no retorno a Senador Sá o motorista informou aos universitários que entrou em contato com o responsável pelo conserto do ônibus e que o serviço já está praticamente completo e que provavelmente antes do fim do mês de agosto outro ônibus retorne a atividade. E pediu a compreensão de todos durante esse momento de lotação, e que dentro de sua competência sempre faz o possível e também entende o desconforto e compreende os universitários. 

Obs.: A sec. de educação foi procurada e informada da situação e da matéria, mas não manifestou-se oficialmente sobre o assunto.  

Reveja outras matérias:









Postar um comentário

0 Comentários