POLITICANDO: 5 dicas para uma gestão pública municipal de qualidade e os 10 princípios para uma gestão eficaz!!

    

      qualidade da gestão pública em um órgão municipal depende de iniciativas coerentes para que os processos fluam de maneira mais rápida e correta. Atingir esse objetivo depende de inúmeros fatores, mas principalmente das decisões do gestor e da aceitação dos colaboradores. Em prefeituras, fazer melhorias profundas na gestão torna-se ainda mais desafiador porque, como as eleições ocorrem a cada quatro anos, pode ser que projetos não tenham continuidade, já que alguns resultados precisam de tempo para ocorrerem. Apesar disso, existem iniciativas que geram resultados rápidos e dificilmente serão descontinuadas. 
      Para sugerir soluções que melhorem a qualidade da gestão pública, o primeiro passo é identificar os problemas. A primeira iniciativa pode ser a realização um mapeamento de processos a fim de entender detalhes como: de que maneira os processos estão funcionando, quem é responsável por cada função, qual é o custo, etc. Com essas informações, ficará mais fácil demonstrar para o prefeito e para os servidores da prefeitura que há uma necessidade de redesenho de processos. Facilitará também o uso de tecnologias workflow, que utilizam um único sistema de gestão para coordenar inúmeras tarefas, a qual falaremos com mais detalhes no decorrer do texto. 

     Nas etapas iniciais, debates com diferentes setores da administração são fundamentais. Melhorar a qualidade da gestão pública deve ser algo contínuo, portanto, ao imaginar alguma mudança importante, o ideal é conversar com quem trabalha com a tarefa em questão e será diretamente afetado por elas.

1) Agilize processos
Uma das principais reclamações sobre o setor público é o excesso de burocracia. Muitas vezes, ela é realmente necessária para garantir a integridade e a idoneidade de processos. Contudo, caso seja identificado que há algo que pode ser simplificado, não há motivo para desperdiçar a oportunidade de otimização. Liste o que é necessário mudar e leve a sugestão adiante. Pense sempre sobre a real necessidade de cada etapa do processo, eliminando-a ou automatizando-a sempre que possível. Pode ser que a mudança dependa de fatores externos, como, por exemplo, de ato legal e do envolvimento de associações e outras entidades do município, públicas ou privadas. Porém, se for adiante,  até mesmo pequenas atitudes podem fazer a diferença na qualidade da gestão pública.

2) Sugira cortes de gastos
Fechar as contas de prefeituras tem sido cada vez mais complicado. Segundo dados da Serasa, o número de brasileiros inadimplentes chegou a 60 milhões em março deste ano. Esses dados já afetam os cofres das prefeituras, como é o caso de Palmas (TO), onde o número de pessoas que não cumpriram suas obrigações com o pagamento do IPTU chegou a 44%. Na maioria dos municípios brasileiros, houve aumento na inadimplência e também redução de repasses de FPM e ICMS. Essas situações forçam as administrações municipais a fazer cortes de gastos para garantir a qualidade da gestão pública. Por isso, ao analisar algum setor específico, liste o que é essencial e o que pode ser dispensado. Nessa etapa, não se esqueça de realizar conversas com pessoas do setor que sofrerá o corte de gastos - o que pode ser dispensável para você, pode ser essencial para quem vive o dia a dia.

3) Melhore a comunicação interna 
Boa parte dos obstáculos que impedem a qualidade da gestão pública passam por falta de gerenciamento de projetos ou de comunicação. Promover o diálogo entre setores, ou mesmo entre pessoas do próprio setor, pode melhorar o trabalho, eliminar entraves desnecessários e evitar erros e atrasos causados pela falta de comunicação. Como fazer isso?


  • Recomende para os gestores o hábito de fazer reuniões periódicas dentro do setor -  Quando as pessoas conversam e trocam experiências fica mais simples resolver problemas, pois o ambiente torna-se mais colaborativo. Muitas vezes, quando cada um concentra-se apenas nas suas tarefas, pode ser que haja muito retrabalho, burocracia e morosidade. Com a troca de ideias, é possível identificar processos mais simples e eficientes.

  • Estimule a promoção de integrações entre pessoas de setores diferentes - Da mesma forma que dialogar dentro do próprio setor é importante, saber como outras áreas ou mesmo pessoas de outras secretarias resolvem seus problemas é muito importante. É comum que o mesmo problema se repita e que alguém tenha uma boa solução que pode ser replicada.

  • Incentive a implantação de sistema de gestão que evite a necessidade de trâmite de papéis e consultas verbais aos servidores de outras áreas.



4) Divulgue as ações da sua gestão
Uma prefeitura deve sempre estar a serviço dos cidadãos do município, por isso é interessante que eles saibam tudo que a gestão municipal tem feito e participem das decisões. Isso melhora a qualidade da gestão pública porque, quando o cidadão é atuante, ficam mais claras as prioridades e fica mais evidende o que é preciso fazer primeiro. É bom também porque uma prefeitura que faz muito, mas não presta contas ou não impacta positivamente a vida das pessoas não é marcante, e provavelmente não terá nova chance nas próximas eleições. Uma boa forma de divulgar essas ações é propiciar que a população se autoatenda pela Internet em Portal Unificado do Município. Dessa forma, aproveita-se a mesma tela para divulgação das ações.

5) Uso de tecnologias para gestão pública
Investir em tecnologias para gestão pública tem se tornado indispensável para as prefeituras que desejam atingir altos níveis de qualidade da gestão pública. A tecnologia pode facilitar e potencializar os resultados de todos os itens que já citamos. No início do texto, falamos brevemente sobre workflow, que nada mais é do que a organização do fluxo de trabalho. Quando bem aplicado, ele é capaz de resolver todos os problemas citados anteriormente, já que integra e organiza todos os processos em uma única plataforma. Dessa maneira, fica muito mais difícil que a mesma tarefa seja executada por duas pessoas diferentes, evitando o retrabalho. A comunicação também torna-se mais eficiente porque, como todos falam “a mesma língua”, fica simples trocar informações e experiências. A consequência disso é a economia financeira, já que quando tudo flui menor, há mais produtividade e menos custos. Podemos concluir que, nos dias atuais, as prefeituras que optam pelo uso da tecnologia conseguem ter uma gestão pública de qualidade e trazem mais benefícios para a população.

Fonte: IPM

Leia também: Link AQUI!


Postar um comentário

0 Comentários