Header Ads

Regional: Jovem nega ter atirado em radialista (Gleydson Carvalho), mas admite participação no crime.

Jovem nega ter atirado em radialista, mas admite participação no crime
Gleydson Carvalho foi morto a tiros na rádio onde trabalhava, no Ceará. Preso em Goiás, suspeito confessa que rendeu recepcionista da emissora.
Suspeito de matar o radialista cearense Gleydson Carvalho, Thiago Lemos da Silva, 22 anos, confirmou participação no crime, mas negou que tenha sido o autor dos disparos que matou a vítima, ao contrário do que aponta a Polícia Civil do Ceará. Ele foi preso nesta sexta-feira (25) com a mulher, Regina Rocha Lopes, de 19, em Senador Canedo, Região Metropolitana de Goiânia, em uma casa alugada.“Eu falei para os policiais que não matei, foi outra pessoa. Eu só segurei a mulher que fica na portaria da rádio”, disse Thiago ao ser apresentado pelos agentes na 2ª Delegacia Regional de Polícia, em Aparecida de Goiânia. Segundo a Polícia Civil de Goiás, no momento em que foi preso, o jovem confessou que recebeu R$ 2 mil para participar do crime.Gleydson Carvalho tinha um programa de rádio na cidade de Camocim, interior do Ceará. Ele era conhecido por fazer comentários críticos sobre políticos da região e foi morto com três tiros enquanto trabalhava, no dia 6 de agosto deste ano. O radialista chegou a ser socorrido, mas morreu no hospital. A polícia ainda não sabe quem foi o mandante do crime.O suspeito disse que, após o crime, queria se entregar à polícia, mas foi ameaçado pelo comparsa que teria atirado no radialista, apontado como Israel Marques de Sousa, de 21 anos, e decidiu fugir. “Vim para Goiás para trabalhar. Não queria mais fazer isso [crimes]”, disse o jovem.Thiago ainda disse que sua esposa, Regina Rocha Lopes, de 19, presa junto com ele, não tem nenhuma ligação com o crime. “A Regina não participou de nada. Ela estava na casa da tia quando o crime aconteceu”, afirmou.Segundo a delegada, os policiais conseguiram localizar e prender a dupla após receber informações do serviço de inteligência da polícia.“Eles estavam na cidade há pouco tempo e a gente acredita que não iam ficar um longo período. A casa tinha poucos móveis e eles dormiam no chão. Acreditamos que eles iriam, em seguida, para o Pará”, explicou.Ainda conforme a investigadora, o casal não tinha nenhum parente ou amigo na cidade que pudesse ajudá-lo na fuga. A Polícia Civil do Ceará também já foi comunicada da prisão.


Nenhum comentário

Atenção!
Ao comentar, escolha as palavras corretas para que seu comentário atinja seu objetivo, expor sua opinião sobre determinado assunto.
Os comentários passaram por moderação da redação e serão publicados, independente do seu conteúdo, caso o comentarista tenha uma identificação válida!
Obrigado por comentar!

Tecnologia do Blogger.