Header Ads

Estadual: Atenção!! A nova virose!

 Foi com um susto que a funcionária pública Divane Freitas, 54, percebeu, ao se olhar no espelho, que estava com o rosto repleto de manchas vermelhas. “Desconfiei que fosse dengue, porque também estava sentindo dores no corpo, de cabeça e nos olhos”, conta. Ao olhar para o colo, Divane notou que as manchas, que coçam muito, também se espalhavam por todo o corpo. “Tomei um susto. Telefonei para um sobrinho, que é farmacêutico e ele me acalmou. Recomendou repouso e ingestão de muito líquido”, relembra ela, que vem seguindo todas as prevenções. O Instituto de Ciência da Saúde da Universidade Federal da Bahia (ICS/UFBA) descobriu um tipo de vírus, o Zica Vírus, em amostras de sangue em pacientes com os sintomas da nova virose, na Bahia. Em nota, os pesquisadores Gúbio Soares e Silvia Sardi afirmam que o Zika Vírus foi descoberto esta semana em porções de sangue de pacientes de Camaçari (BA), por meio de uma técnica chamada RT-PCR.O professor Gúbio Soares diz que o vírus causa um quadro muito parecido com o da dengue, em que o paciente pode apresentar sintomas como febre, diarreia, dores e manchas no corpo. Porém, este novo vírus é mais fraco e os sintomas mais brandos. “Zika Vírus não é tão grave quanto dengue ou chikungunya, não leva o paciente à morte. O quadro parece alérgico, é mais tranquilo e o tratamento é o mesmo”, explica o pesquisador.Além destes sintomas, o paciente pode apresentar sinais de conjuntivite. O vírus é transmitido pela picada do mosquito Aedes aegypti, Aedes albopictus e outros tipos de Aedes, mas nunca havia sido detectado antes no Brasil ou na América Latina.Esta é uma descoberta inédita e serve também para tranquilizar a população. “Quando você dá um diagnóstico, o paciente já vai mais tranquilo para o hospital”, destaca na nota o professor Gúbio. A descoberta contou com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia (Fapesb) que disponibilizou recursos através do Programa de Apoio à Pesquisa para o SUS (PPSUS).Em nota, divulgada na última quarta, a Secretaria da Saúde do Estado (Sesa) convocou alerta máxima aos profissionais de saúde para detecção precoce, bem como para o manejo clínico adequado para casos suspeitos de dengue, sarampo, chikungunya e doença exantemática não especificada. Regressão espontânea“Segundo as notificações compartilhadas pelas Secretarias da Saúde dos estados da Bahia, Maranhão, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Sergipe e Paraíba, todos os casos apresentam evolução benigna com regressão espontânea, mesmo sem intervenção clínica”, explicou a Sesa. Saiba maisCasos no NordesteDe acordo com informações do Ministério da Saúde, até agora, foram identificados 6.807 casos da doença exantemática no Nordeste.

Faixa etária
O órgão federal ressalta que não há registro de casos graves ou óbitos pela doença. A faixa etária de 20 a 40 anos foi a mais acometida. Porém, há relatos de pacientes com quatro meses de vida e outro com 98 anos de idade, acrescenta o ministério.

Ocorrência
A nova virose vem sendo registrada em unidades de saúde do Nordeste desde o último mês de fevereiro.

Nenhum comentário

Atenção!
Ao comentar, escolha as palavras corretas para que seu comentário atinja seu objetivo, expor sua opinião sobre determinado assunto.
Os comentários passaram por moderação da redação e serão publicados, independente do seu conteúdo, caso o comentarista tenha uma identificação válida!
Obrigado por comentar!

Tecnologia do Blogger.